Deseja receber um Ebook Grátis? Baixe grátis seu ebook
Coisas que você precisa saber sobre as palavras para melhorar sua vida

 

Quantas vezes você já se encrencou por aquilo que falou ou escreveu? As palavras escritas ou faladas podem revelar quem somos e o conteúdo que nos habita. Ela é parte oculta e parte visível de nós. Quando a palavra não pode ser vista (escrita, libras), ela pode ser ouvida. São elas que revelam os nossos pensamentos, emoções e personalidade. As palavras tem o poder de unir e separar, de incentivar e arruinar, de promover paz, mas de causar guerras. Elas marcam negativamente, arruinando sonhos. Porém são as palavras de encorajamento que podem contribuir para concretização dos mesmos. 

 

Como as palavras afetam a nossa vida?

As palavras que ferem podem arruinar casamentos, destruir amizades e romper sociedades. Elas aparecem na fofoca, na difamação, calúnia e no julgamento. A palavra tóxica envenena não só o “alvo”, mas também quem a detém. Elas não são vazias, mas carregadas de emoções. Você sabe quais são as emoções que contribuem para a toxicidade das palavras? Ciúme, inveja, raiva, medo, vergonha, desprezo, aversão, desgosto, e tantas outras emoções negativas.

 

O que você diz ou aquilo que você ouve, pode afetar profundamente a sua vida ou a vida dos outros. Mesmo a conversa mais simples pode causar transformações profundas em nós, sejam elas positivas ou negativas.

 

Na natureza existe um princípio de que uma fonte de água doce não pode produzir água salgada. Não é o nosso caso, infelizmente, nós podemos ser amáveis com algumas pessoas e terrivelmente violentos com outras. Também podemos ser amáveis e violentos com a mesma pessoa. Como evoluir? Como mudar? Como comunicar de maneira não-violenta? Como ser assertivo e errar menos?

 

Alguns aspectos podem nos ajudar nesse processo, no caminho em busca do aperfeiçoamento das palavras. Preciso dizer para você, que o caminho é íngreme e com muitos obstáculos, mas que irá fazer da sua vida uma experiência melhor. Eu mesma tenho trilhado ele, e os resultados são por demais prazerosos. Vem comigo nessa busca, irá valer a pena, pode acreditar.

 

É a capacidade de falar assertivamente que nos liga ao outro, formando laço e não nó. Quando usamos as palavras com agressividade, para constrangimento, de forma depreciativa, cheia de julgamento, sem autocontrole, perdemos a nossa própria essência, e a possibilidade de ser ouvido. As pessoas não irão ouvir se você gritar, julgar, depreciar ou perder o controle. Se quiser ser ouvido, precisa mudar a forma de se comunicar.  

 

Alguns aspectos podem te ajudar nesse percurso:

 

1º –  Veja o bem, aprenda a olhar por uma perspectiva positiva.

2º – Tenha como objetivo não causar dor nas pessoas.

3º – Seja cuidadoso ao se expressar, pense sobre o que irá dizer antes, observe seus sentimentos.

4º – Aceite as diferenças de pensamento do mesmo jeito que você aceita que as pessoas não se parecem fisicamente.

5º – Abra mão de comentários sarcásticos.

6º – Seja leal, não conte um segredo que lhe foi confiado, proteja-o.

7º – Sintonize-se com as necessidades das pessoas.

8º – Preste atenção no seu tom de voz.

9º – Evite palavras como: “você sempre”, “você nunca” e etc.

 

Todos os dias nós falamos milhares de palavras. Falamos com  amigos, família ou desconhecidos, e cada palavra carrega em si um potencial, que pode ser positivo ou negativo. Como falei anteriormente, as palavras são parte oculta e parte visível de nós. Enquanto parte oculta, conhecemos como pensamentos. Você pode estudar ou trabalhar com alguém por alguns anos, achar o mesmo “lerdo” (baseado em seus próprios parâmetros), mas como nunca disse a ele e a nenhuma outra pessoa, ninguém ficará afetado além de você. Entretanto, se contar a alguém, mesmo que a priori o terceiro não leve em consideração seu julgamento, provavelmente, as futuras avaliações sobre o comportamento do rotulado, serão pautadas na premissa de que se trata mesmo de um “lerdo”. O rótulo é uma cola, e pode fazer com que a pessoa sinta-se mesmo que não, uma “lerda”, gerando baixa estima e outros problemas. Se você foi vítima de palavras destruidoras ou usa as palavras com violência, um psicólogo pode ajudar.

 

As palavras devem ser usadas para aliviar a solidão, incentivar, encorajar, aconselhar e instruir. Fofoca, calúnia, mentira e depreciação não deveria ser uma possibilidade. Mesmo quando precisamos repreender um filho, por exemplo, as nossas palavras deveriam transmitir uma preocupação amorosa.

 

Falar o necessário e assertivamente, contribui para o nosso bem-estar físico, emocional e espiritual. A qualidade da nossa fala é tão ou mais importante que a qualidade da nossa alimentação, até porque as palavras podem “envenenar”, nos fazendo adoecer. Analisar os efeitos negativos do que você diz ou escreve, pode lhe ajudar a livrar-se daquelas palavras que são danosas. O aperfeiçoamento das nossas palavras melhora nossos relacionamentos interpessoais e consequentemente a nossa vida.

 

Autora: Psicóloga Marley Christian T. da Costa – CRP 12/13824

 

Sem Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Leave A Comment

Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter a message.